Guerra contra os falsos mestres

Poucas coisas me incomodam, mas nada me incomoda mais do que ouvir besteira de um líder religioso.

Estes líderes normalmente são homens eloquentes, de boa oratória e muito carisma mas que usam de legalidade e moralismo para manipular seu público.

Olha o que Paulo disse sobre eles em Romanos:

Pois essas pessoas não estão servindo a Cristo, nosso Senhor, mas a seus próprios apetites. Mediante palavras suaves e bajulação, enganam o coração dos ingênuos.”

Romanos 16:17 e 18

Estes líderes costumam servir ao seu próprio ventre, criando seu império em nome de Jesus. Seus objetivos normalmente estão ligados na busca pelo “PODER”, não de ser um deus, mas de ser como Deus.

O foco desses falsos mestres costuma estar sempre ligado a quantidade de membros (com a visão errônea de que quanto maior a igreja, mais abençoado por Deus é o ministério), diferente de como era a igreja no livro de Atos, estes falsos mestres são semelhantes aos construtores da torre de Babel (querem construir um prédio imponente a fim de serem reconhecidos como pessoas santas e prosperas):

“…Vamos construir uma cidade com uma torre altíssima, que chegue até aos céus; dessa forma, o nosso nome será honrado por todos e jamais seremos dispersos pela face da Terra!”

Genesis 11:4

Ou seja, o plano não é levar o evangelho, mas trazer pessoas para seu império, prendendo-as com o seu discurso eloquente sobre moralismo e legalidade.

Construir esse império exige muito dinheiro, e para isso os falsos mestres costumam adotar uma teologia financeiramente mais agressiva, apelando a campanhas, votos e ofertas alçadas. Sempre enfatizando as bênçãos de Deus para aqueles que fazem sacrifícios financeiros.

Sua teologia também é regada a medo onde todos que tentam sair da igreja são indiretamente ameaçados pelo líder, com frases como “você deixará de ser abençoado”, “você estará em maldição”, “não saia da cobertura espiritual”… Entre muitos outros absurdos.

No passado surgiram falsos profetas no meio do povo, como também surgirão entre vocês falsos mestres. Estes introduzirão secretamente heresias destruidoras, chegando a negar o Soberano que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. Muitos seguirão os caminhos vergonhosos desses homens e, por causa deles, será difamado o caminho da verdade. Em sua cobiça, tais mestres os explorarão com histórias que inventaram. Há muito tempo a sua condenação paira sobre eles, e a sua destruição não tarda.

2 Pedro 2:1 à 3

Deste texto, quero destacar dois pontos importantes citado por Pedro:

“…chegando a negar o Soberano que os resgatou…”

O falso mestre invalida a soberania de Deus, dando ordens, fazendo de Deus o servo da igreja. Dizendo “Deus, faça isso… em nome de Jesus…”, “Deus, me faz prosperar”, “Deus, eu quero a minha benção!”.

O falso mestre manipula a bíblia. Ao invés dele ensinar a igreja como interpretar as escrituras, ele se faz de santo e trás falsas revelações (alegorias inventadas), dando a impressão de que apenas ele tem revelações. Como Pedro afirma:

“…Em sua cobiça, tais mestres os explorarão com histórias que inventaram.

E para finalizar, o que mais me embrulha o estomago:

“enganam o coração dos ingênuos.”

Romanos 16:18

Neófitos e pessoas que não buscam compreender a bíblia são os principais alvos destes falsos mestres.

Não é atoa que falsos mestres investem pesado no ministério de Louvor. Pessoas são movidas pelas suas emoções!
Note bem, falsos mestres costumam pedir dinheiro depois do louvor, pois é um momento de vulnerabilidade, onde o povo está com o coração aberto. Eles fazem uso indireto de técnicas de PNL e Hipnose para empoderar seu povo e induzi-lo ao erro.

Estes são apenas alguns dos muitos atos exercidos pelos falsos mestres. Portanto, tome cuidado! O melhor escudo é o conhecimento. Leia a bíblia, aprenda a interpreta-la corretamente e não seja enganado.